fbpx

Cirurgia nas roturas parciais do Ligamento Cruzado Anterior

A incidência de lesões do ligamento cruzado anterior representa uma grande percentagem (20% a 50%) das lesões do joelho, seja na população em geral seja na desportiva, e, recorrentemente, condiciona necessidade cirúrgica.

Apesar de ser uma lesão muito estudada, ainda pouco se estudou sobre os resultados da abordagem conservadora, não cirúrgica, da rotura parcial do LCA que representa 10% a 28% de todas as lesões deste.

Da revisão sistemática levada acabo em 2022 por Guimmarra, a intervenção da Fisioterapia com recurso a programas de intervenção com exercício mostrou-se eficaz no ganho de amplitude articular, diminuição da dor e ganho de força, mas não está claro, pelo menos segundo o método científico, o impacto que estes programas têm na qualidade de vida.

Apesar de clinicamente poderemos atestar a importância e impacto positivo que a reabilitação em Fisioterapia tem em pessoas com rotura parcial do LCA, reforçando a ideia do autor Guimmarra, é necessário que haja uma prática homogeneizada e nivelada pela melhor evidência científica para benefício de quem procura estes cuidados.

Referências Bibliográficas:

Giummarra, M., Vocale, L., & King, M. (2022). Efficacy of non-surgical management and functional outcomes of partial ACL tears. A systematic review of randomised trials. BMC musculoskeletal disorders23(1), 332. https://doi.org/10.1186/s12891-022-05278-w